Leis de Kepler

28/06/2008

» Leis de Kepler

Leis de Kepler

?Na primeira Lei de Kepler:
Os planetas descrevem órbitas elípticas em torno
do Sol, que ocupa um dos focos da elipse descrita.

?Segunda Lei de Kepler:
O segmento imaginário que une o centro do Sol e o
centro do planeta varre áreas proporcionais aos inter-
valos de tempo dos percursos.

?Terceira Lei de Kepler:
O quadrado do período de revolução de cada planeta é
proporcional ao cubo do raio médio respectiva órbita.
?Sendo T o período do planeta, isto é, o intervalo de tempo para
ele dar uma volta completa em torno do Sol, e r a medida do
semi-eixo maior de sua órbita (denominado raio médio), a Ter-
eira Lei de Kepler permite escrever:

T2 = K r3

A constante de proporcionalidade K só depende da massa do Sol.

Equação Termométrica

28/06/2008

» Equaçao Termométrica

Equaçao Termométrica

Uma escala termométrica corresponde a um conjunto de valores numéricos onde cada um desses valores está associado a uma temperatura.

Para a graduação das escalas foram escolhidos, para pontos fixos, dois fenômenos que se reproduzem sempre nas mesmas condições: a fusão do gelo e a ebulição da água, ambos sob pressão normal.

1º . Ponto Fixo: corresponde à temperatura de fusão do gelo, chamado ponto do gelo.

2º . Ponto Fixo: corresponde à temperatura de ebulição da água, chamado ponto de vapor.
O intervalo de 0ºC a 100ºC e de 273K a 373K é dividido em 100 partes iguais e cada uma das divisões corresponde a 1ºC e 1K, respectivamente. Na escala Fahrenheit o intervalo de 32ºF a 212ºF é dividido em 180 partes.

A escala Fahrenheit é usada, geralmente, nos países de língua inglesa. A escala Kelvin é chamada escala absoluta de temperatura.

Transformação de Temperatura

28/06/2008

» Transformação de Temperaturas

Transformação de Temperaturas

A matéria e a energia não podem ser criadas ou destruídas , podem apenas ser transformadas.
Para você notar se houve uma transformação precisará analisar a matéria em dois momentos diferentes, em um estado inicial e em um estado final.
Pode-se afirmar que houve uma transformação na matéria considerada, quando for observada alguma diferença, ao se comparar as características da matéria no estado inicial com as características no estado final.
A matéria e a energia não podem ser criadas ou destruídas , podem apenas ser transformadas.
Para você notar se houve uma transformação precisará analisar a matéria em dois momentos diferentes, em um estado inicial e em um estado final.
Pode-se afirmar que houve uma transformação na matéria considerada, quando for observada alguma diferença, ao se comparar as características da matéria no estado inicial com as características no estado final.

Relação

28/06/2008

» Relação

 

Relação

As constantes e são os respectivos coeficientes de dilatação superficial e volumétrica.

É importante assinalar que os três coeficientes apresentados se relacionam quando se trata de um único material.

» Dilatação Superficial E Dilatação Volumétrica

28/06/2008

Dilatação Superficial e Dilatação Volumétrica

Dilatações superficial e volumétrica
As dilatações superficial e volumétrica são aquelas em que prevalecem, respectivamente, variações de área e de volume.

Os fatores que influenciam a dilatação térmica nesses casos são os mesmos da dilatação linear, ou seja: a dimensão inicial do material e a variação de temperatura.

Assim, as equações que determinam essas dilatações são muito semelhantes à equação da dilatação linear, como se pode ver no quadro acima.

Dilatação Linear

28/06/2008

Dilatação Linear

 

Dilatação linear
A dilatação térmica linear, ou simplesmente dilatação linear, ocorre em corpos em que o comprimento é a dimensão mais importante, como por exemplo, em cabos e vigas metálicas.

Por esse motivo, quando sujeitos a variações de temperatura, corpos com esse formato sofrerão, principalmente, variações no comprimento.

Essas variações estão diretamente relacionadas a três fatores:
• o comprimento inicial do objeto (representada por L0);
• o material de que ele é feito (representado por );
• a variação de temperatura sofrida por ele (representada por ).

A partir desses três fatores, pode-se chegar a uma equação matemática que mostra como determinar a alteração de comprimento sofrida por um corpo devido a variações de temperatura, como se vê na figura acima, em que representa precisamente a alteração de comprimento:

Dilatação

28/06/2008

Densidade

Dilatação

O aumento de temperatura provoca um afastamento das moléculas e um conseqüente aumento do tamanho do corpo.
Com o aumento da agitação molecular, as moléculas ficam mais afastadas uma das outras. Por quê? Durante a agitação, duas forças atuam nas moléculas: a de atração, quando elas se afastam; e a de repulsão, quando elas se aproximam.

Pressão de uma Coluna de Liquido

28/06/2008

Pressao de uma coluna de liquido

Num fluido qualquer, a pressão não é a mesma em todos os pontos. Se um fluido homogêneo estiver em repouso, então todos os pontos numa superfície plana horizontal estarão à mesma pressão. A diferença de pressão entre dois pontos (PB – PA), cuja superfície horizontal esteja a uma distância h, é dada por

onde r é a densidade do líquido; g é a aceleração da gravidade. PB e PA são as pressões nos pontos B e A, respectivamente.

Pressão

28/06/2008

Pressão

Pressão

Você ja parou para pensar, porque o líquido de uma garrafinha vai parar em sua boca??

NÃO?
Bom entaum aqui vai uma explicação!
*Porque a pressão interna da boca eh menor q a do ambiente e
isso faz com que a pressão atmosférica empurre o liquido para dentro da boca!

========||=====||_
A pressão relativa define-se como a diferença entre a pressão absoluta e a pressão atmosférica. Os aparelhos destinados a medir a pressão relativa são o manômetro e também o piezômetro.
A pressão ou tensão mecânica é a força normal (perpendicular à área) exercida por unidade de área.

Formalmente,
p= F_
A

Densidade

28/06/2008

Densidade

?No primeiro exemplo temos como referencia objetos flutuando..
-Mas surge a pergunta, Porque eles flutuam?
-Bom a respsta é simples
Objetos com densidade menor do que a do líquido no qual estão imersos flutuam. Uma bola de isopor flutua. Se a submergirmos num líquido ela tende a subir. Os dois efeitos resultam do empuxo.

?No segundo exemplo temos uma garrafa flutuando, ou seja as garrafas em geral flutuam. No entanto, se como resultado das ondas a água começar a penetrar na garrafa, depois de algum tempo ela afundará.

?No terceiro temos uma pessoa flutuando, as pessoas têm facilidade para boiar na água. O mesmo vale para os animais. Isso demonstra que a densidade média dos seres vivos é praticamente igual à densidade da água.

?I no ultimo exemplo temos objetos ocos flutuando, um objeto oco tem mais facilidade de flutuar. Um navio só flutua porque ele não é todo de ferro. As partes ocas ou vazias do navio reduzem sua densidade em relação àquela do ferro maciço. Um navio é tão oco que a sua densidade média é bem menor do que a densidade da água.
————-||————-||
?Densidade é a massa por unidade de volume de uma substância. O cálculo da densidade é feito pela divisão da massa do objeto por seu volume.

Densidade = massa
volume

?Mas porque que existe a densidade?Existe para determinar a quantidade de matéria que está presente em uma determinada unidade de volume. O que você entenderia se te dissessem que o chumbo
possui maior densidade do que o alumínio? A explicação é que, num dado volume de chumbo há mais matéria que em uma mesma quantidade de alumínio.